Por Thales Coimbra e Wesley da Hora, jovens Pra Brilhar

Se liga nesse glossário perfeito pra tirar suas dúvidas sobre ISTs e Aids de forma rápida e prática!

HIV

O que é

É o vírus que causa a Síndrome da Imuno Deficiência Adquirida (SIDA ou Aids). Quando não tratado, o vírus do HIV ataca o sistema imunológico do hospedeiro, abrindo caminho para infecções oportunistas que podem levar à morte. Os sintomas costumam aparecem na fase avançada, seja com doenças oportunistas, inflamação dos gânglios, manchas na pele, etc.

Como transmite

Fluídos sexuais, transfusão de sangue, amamentação materna e instrumentos perfurocortantes.

Diagnóstico

Teste de sangue rápido ou normal.

Tratamento

Antirretrovirais, fornecidos pelo SUS.

Prevenção

Uso de preservativos, Profilaxia Pré-Exposição (PREP), Profilaxia Pós-Exposição (PEP) e TcP (Tratamento como Prevenção), ou seja, a relação sexual com pessoa que vive com o vírus do HIV quando esta pessoa está há pelo menos 6 (seis) meses com a carga viral indetectável.

Sífilis

O que é

O agente causador é uma bactéria. Ela provoca feridas nos genitais, que desaparecem com o tempo. Se não tratada, posteriormente, evolui para manchas no peito, palma das mãos e sola dos pés. Deve ser tratada para não causar maiores complicações: cegueira, paralisias, doenças neurológica e no coração.

Como transmite

Relação sexual sem preservativo ou na gravidez.

Diagnóstico

Teste de sangue rápido ou normal.

Tratamento

Penicilina Benzatina.

Prevenção

Uso de preservativo com gel lubrificante à base de água.

Hepatite A

O que é

Doença inflamatória do fígado causada por um vírus. Ele causa fadiga, mal-estar, febre e dores musculares. Depois, os sintomas são enjoo, vômitos, dor abdominal, constipação ou diarreia. A urina escura ocorre antes da fase em que a pele e os olhos ficam amarelados. Os sintomas tendem a aparecer de 15 a 50 dias depois da infecção e duram menos de dois meses.

Como transmite

Transmissão pela via fecal-oral, por exemplo, consumo de água e alimentos infectados ou fazer cunilíngua (cunete).

Diagnóstico

Teste de sangue.

Tratamento

Não há nenhum tratamento específico para hepatite A. Evite auto-medicamento para não sobrecarregar o fígado.

Prevenção

Higienizar as partes íntimas antes e depois da relação sexual, bem como eventuais brinquedos eróticos.

Hepatite B

O que é

Doença inflamatória do fígado causada por um vírus que pode ser considerada silenciosa, pois raramente apresenta sinais e sintomas. Quando surgem os sintomas, que são cansaço, tontura, enjoo e/ou vômitos, febre e dor abdominal, a doença já está em estágio avançado.

Como transmite

(a) Relações sexuais desprotegidas com pessoa infectada;

(b) mãe que vive com o vírus para o bebê durante a gestação, parto e amamentação;

(c) compartilhamento de material para uso de drogas (seringas, agulhas, cachimbos), de higiene pessoal (lâminas de barbear e depilar, escovas de dente, alicates de unha ou outros objetos que furam ou cortam) ou de confecção de tatuagem e colocação de piercing;

(d) também por transfusão de sangue infectado.

Diagnóstico

Teste de sangue rápido ou normal. Se der positivo, faz-se o teste confirmatório.

Tratamento

Antivirais específicos, disponibilizados no SUS. Durante o tratamento, não se deve consumir álcool. Os medicamentos não curam a doença, mas podem retardar a progressão da cirrose, reduzir a incidência de câncer de fígado e melhorar a sobrevida em longo prazo. 

Prevenção

Uso do preservativo com gel lubrificante à base de água e não compartilhar objetos de higiene de uso pessoal. Além disso, há vacina disponível no SUS. Não há contraindicação para gestantes e lactantes. Há tratamento para a gestante diagnosticada com o vírus para que não transmita ao bebê.

Hepatite C

O que é

Doença inflamatória do fígado causada por um vírus que também é silenciosa. Aproximadamente 60% a 85% dos casos se tronam crônicos e, em média, 20% evoluem para cirrose ao longo do tempo. Pessoas vivendo com HIV são exemplo de população mais vulnerável à infecção pelo vírus.

Como transmite

Contato com sangue contaminado, o que pode acontecer

(a) compartilhando agulhas, seringas e outros objetos para uso de drogas;

(b) reutilizando-se ou falhando na esterilização de equipamentos médicos ou odontológicos;

(c) na má esterilização de equipamentos de manicure;

(d) na reutilização de material para realização de tatuagem;

(e) procedimentos invasivos (ex.: hemodiálise, cirurgias, transfusão) sem os devidos cuidados de biossegurança;

(f) uso de sangue e seus derivados contaminados;

(g) relações sexuais sem o uso de preservativos (menos comum);

(h) Transmissão da mãe para o filho durante a gestação ou parto (menos comum).

Diagnóstico

Teste de sangue rápido ou normal. Se der positivo, faz-se o teste confirmatório.

Tratamento

Após o diagnóstico, faz-se o teste para identificar a carga viral. Depois disso, o paciente pode começar o tratamento pelo SUS, com remédios que curam a doença e impedem sua progressão.

Prevenção

Uso do preservativo com gel lubrificante à base de água.

Gonorréia

O que é

Infecção causada por bactéria que atinge o pênis, a vagina, o ânus, os olhos e a garganta. Entre os sintomas está o corrimento (líquido) que sai da vagina e do pênis. Se não for tratada, pode deixar a pessoa infértil, ou seja, não ter mais filhos. Além disso, dor nas relações sexuais e complicações na gravidez.

Nas mulheres, apesar da dor na parte de baixo do ventre, a maioria não apresenta sinais ou sintomas. No caso dos homens, há corrimento no pênis (com pus) e dores ao urinar (ardência e esquentamento), com dores nos testículos.

Como transmite

Relação sexual desprotegida e no parto da gestante para o bebê.

Diagnóstico

Clínico, ou seja, quando se identificam os sintomas.

Tratamento

Segundo a orientação médica, com antibiótico adequado.

Prevenção

Uso do preservativo com gel lubrificante à base de água.

HPV

O que é

Infecção causada por vírus nas regiões genitais, ou seja, no ânus, na vagina, no pênis e da garganta. Muitas pessoas não apresentam sintomas, mas transmitem o vírus, que tem alto risco de desencadear câncer.

Como transmite

Pela via oral-genital, genital-genital ou mesmo manual-genital. Também pode ocorrer no parto, entre a gestante e o bebê.

Diagnóstico

Clínico e/ou laboratorial, uma vez que se tratam de verrugas, que podem precisar de biopsia.

Tratamento

Deve ser individualizado e envolve tanto

(1) a eliminação das verrugas, quanto

(2) a vacinação, disponível pelo SUS.

Prevenção

Vacinar-se contra o HPV: para meninas de 9 a 14 anos, meninos de 11 a 14 anos, pessoas que vivem com HIV e pessoas transplantadas de 9 a 26 anos. Exame preventivo de Papanicolaou, para pessoas com útero, a fim de identificar lesões precursoras do câncer do colo do útero. Uso do preservativo nas relações sexuais.

Observações

No caso da Hepatite B, apesar do site do Governo Federal dizer que a Hepatite B não tem cura, informações do Googlea pesquisa foi “hepatite b tem cura” – dizem que:

Em casos mais leves, a doença desaparece sozinha. Casos crônicos necessitam de medicação e, possivelmente, de um transplante de fígado.

** No caso do HPV, apesar do site do Governo Federal dizer que o HPV não tem cura, informações do Google – a pesquisa foi “hpv tem cura” – dizem que:

Não há cura para o vírus, e as verrugas podem desaparecer por conta própria. O tratamento visa eliminar as verrugas. Uma vacina que previne os variados tipos de HPV com maior probabilidade de causar verrugas genitais e câncer cervical é recomendada para meninos e meninas.

O HPV costuma curar-se espontaneamente em 80 a 90% dos casos. Após 1 ou 2 anos, o sistema imunológico da maioria das pessoas é capaz de destruir o HPV e eliminá-lo por completo do nosso organismo. A lesões provocadas pelo HPV, sejam elas verrugas ou neoplasias do colo do útero, têm cura através de tratamento médico.

Diante de informações dúbias a respeito da cura ou não da infecção – ou da informação apenas da cura dos sintomas – preferimos apontar que a infecção não tem cura.

Este texto faz parte dos materiais produzidos pela turma 2020.2 do projeto Pra Brilhar, da Viração Educomunicação, em parceria com o Programa Municipal de DST/Aids do Município de São Paulo.

Imagem de Gerd Altmann por Pixabay

Comente no post aqui!