Gênero

SOBRE VIOLÊNCIA PSICOLÓGICA, RAÇA E GÊNERO

Na semana em que fomos atravessades por mais um episódio de violência física contra a mulher divulgado nas redes sociais, o Canto Baobá nos convida a refletir sobre o tema. Bora brilhar na leitura?

Por Canto Baobá Psicologia

No começo desse ano (2021), observamos um aumento de pesquisas relacionadas a abuso psicológico, muito falado em relacionamentos abusivos. Porém, o abuso Psicológico pode acontecer em qualquer ocasião.

A violência Psicológica é uma condição em que a pessoa que agride têm como finalidade causar um dano emocional. A vítima passa a se controlar de acordo com o desejo da pessoa agressora, controlando suas crenças, opiniões e gestos. 

Alguns exemplos desse abuso são: ameaças, constrangimentos públicos, humilhação, manipulação, chantagem, perseguição (pessoalmente e por meios online como sms, e-mail, mensagens pelo whatsapp e redes sociais), insultos e ridicularizações. A tortura psicológica também é uma forma de abuso.

E como os recortes de raça, gênero e classe entram nessa história?

Esses 3 recortes interferem muito na forma em que somos tratades:

O racismo e a LGBTfobia são confundidas (e muitas vezes atrelado) com bullying nas escolas, e tratados como ‘brincadeira’ em diversos outros espaços;

a pressão social para uma mulher ser ‘submissa’ a diversas situações abusivas para continuar em um matrimônio, continuar em determinado emprego ou não ‘estragar sua imagem’ perante a sociedade ainda ocorre;

Pessoas de classe social acima da média da população brasileira, pessoas brancas e heterossexuais ainda tendem a tratar com desdém o outre e cometem esse tipo de abuso. 

A violência psicológica é naturalizada o tempo todo!

Mas e quando ela acontece dentro de um mesmo grupo de pessoas?

Parece (e talvez seja de fato, por conta da naturalização da violência cometida entre um grupo sobre o outro) mais dolorido, não é mesmo? Porque pessoas de um mesmo grupo em tese entendem as opressões que elas sofrem.

Um exemplo disso é a rivalidade feminina incentivada no mercado de trabalho, que faz com que uma mulher oprima outra mulher para conseguir um espaço de prestígio.

É tão difícil mulheres ocuparem cargos de liderança que o próprio mercado as fazem competir: não podem crescer juntas, uma precisa estar “embaixo” hierarquicamente, psicologicamente ou moralmente.

Por isso a importância do reconhecimento dessas violências, para que se possa tomar as devidas providências, sem ignorar o contexto que esse caso aconteceu.

Se você precisar de ajuda para lidar com qualquer tipo de violência psicológica ou física, procure os serviços especializados da sua cidade!

Este conteúdo foi produzido pelo Canto Baobá Psicologia, um espaço especializado em Saúde Mental, com ênfase em questões raciais, de gênero, orientação sexual e classe social, que tem a missão de fazer do cuidado da mente direito universal. A partir de junho de 2021, o Canto Baobá ocupa as redes do Pra Brilhar em uma parceria de conteúdo babadeira. Fica ligade pra não perder nenhuma publicação!

Comente no post aqui!