Vamos conhecer melhor como funciona a Profilaxia Pré-Exposição – PrEP e descobrir como ter acesso a esse tratamento gratuito pelo SUS

A profilaxia pré-exposição, ou PrEP, é o uso de medicações antirretrovirais, geralmente usadas para tratar a infecção pelo HIV, para prevenir a infecção pelo HIV em pessoas não infectadas.

A PrEP é a combinação de dois medicamentos (tenofovir + entricitabina) que bloqueiam alguns “caminhos” que o HIV usa para infectar seu organismo. Se você tomar PrEP diariamente, a medicação impede que o HIV se estabeleça e se espalhe em seu corpo.

O uso da PrEP para prevenir a infecção pelo HIV é um conceito importante no âmbito da prevenção combinada. Essa tecnologia de prevenção protege somente da infecção pelo HIV, ou seja, ela não protege o indivíduo de adquirir outras IST e/ou hepatites virais.

Desde 2014, a profilaxia pré-exposição é recomendada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para pessoas em risco considerável de se infectarem com HIV e sua eficácia foi comprovada por vários estudos clínicos.

Um deles, o estudo internacional iPrEx (Iniciativa de Profilaxia Pré-exposição), do qual o Brasil também participou. Esse estudo concluiu que o uso diário de antirretroviral por homens saudáveis que fazem sexo com outros homens, conseguiu prevenir novas infecções pelo HIV, com eficácia que variou de 43% a 92%, dependendo da adesão ao medicamento.

A PrEP está disponível no Brasil pelo Sistema Único de Saúde – SUS, junto com as demais estratégias de prevenção oferecidas aos segmentos populacionais que possuem risco acrescido de contrair HIV, as chamadas populações-chave para a epidemia de HIV/aids.

A PrEP é uma alternativa adicional de prevenção para pessoas que tenham práticas de maior risco de infecção pelo HIV, como parte da abordagem de prevenção combinada.

Mandala da Prevenção Combinada

Existem importantes etapas que precedem o acesso à PrEP como, por exemplo, a avaliação de elegibilidade. Por isso, é importante procurar uma unidade de saúde para receber informações e a indicação para uso da PrEP.

A prioridade para a PrEP são as pessoas que vivem em situação de maior vulnerabilidade ao HIV, homens cis gays e homens cis que fazem sexo com outros homens (HSH), profissionais do sexo, homens e mulheres trans, travestis e casais sorodiferentes (quando um tem HIV e o outro não).

No tratamento, você deve tomar o medicamento todos os dias, fazer exames regulares e buscar sua medicação gratuitamente a cada três meses. Outro aspecto importante em relação à PrEP é que ela se efetiva somente a partir do sétimo dia de uso contínuo da medicação, para as exposições por relação anal. Quanto às exposições vaginais, este efeito é observado a partir de 20 dias de uso.

Tomar a PrEP não é apenas retirar os comprimidos. Quem faz uso da PrEP também necessita receber orientação médica constante, realizar exames de sangue pelo menos de três em três meses, ter consultas para avaliar sua adesão ao tratamento profilático e receber informação sobre uso de preservativo e prevenção das IST.

O Dr. Robinson Fernandes de Camargo, do Programa Municipal de IST/Aids de São Paulo, respondeu 10 perguntas sobre a Profilaxia Pré-Exposição:

Vamos recapitular?

Você deve considerar usar a PrEP se:

Fizer parte de uma dessas populações-chave

•    homens cis gays e homens cis que fazem sexo com outros homens (HSH); 
•    Pessoas trans e travestis

•    Casais sorodiferentes

•    Trabalhadores(as) do sexo.

E, além disso, se você: 

•    Frequentemente deixa de usar camisinha em suas relações sexuais (anais ou vaginais);
•    Tem relações sexuais, sem camisinha, com alguém que seja HIV positivo e que não esteja em tratamento;
•    Faz uso repetido de PEP (Profilaxia Pós-Exposição ao HIV);
•    Apresenta episódios frequentes de Infecções Sexualmente Transmissíveis.

Se o seu perfil se encaixar na lista acima, procure uma unidade de saúde!

Acesse aqui uma lista de unidades especializadas em IST/AIDS na cidade de São Paulo

Com informações da Agência Jovem de Notícias, Ministério da Saúde e Coordenadora de IST/AIDS do Município de São Paulo.

Comente no post aqui!